Somos imperfeitos, e isso é incrível!

Você já parou pra pensar o quanto sua vida seria incrível se você parasse de se julgar tanto? Quantas vezes nos anulamos por causa daquilo que as pessoas falam sobre nós? Quantas vezes colocamos demasiado poder nas mãos de quem não merece a nossa mínima atenção. Afinal, independente do que os outros pensam ao nosso respeito, no fundo nós sempre seremos os nossos maiores juízes.

Não importa os medos. Não importa as batalhas. Não importa as lutas diárias. Não importa a dor. Não importa a perda. Não importa o fracasso. Não importa as desavenças. Não importa a chuva. Não importa a queimadura do sol. Não importa as lágrimas. Não importa as doenças. Não importa a confusão. Não importa a solidão. Não importa os porquês. Não importa as neblinas. Não importa as tarefas. Não importa os problemas. Não importa o cansaço. Não importa a insônia. Não importa a novela perdida. Nada disso importa!

O que realmente importa é o tempo perdido. O tempo gasto com o nada. O tempo de não ter tempo. Isso importa. Importa saber que independente do momento da sua vida, seja ela difícil ou impossível, vai passar. O aprendizado e a experiência irão permanecer e a certeza de que você pode cada vez mais, também. Resiliência. Persistência. Perseverança. Confiança. É a antiga história do barco e do remo: suba no barco, pegue o remo e vá. Vá mesmo com tempestade. Vá mesmo com dificuldade. Vá mesmo com ondas que cobrem a linha do horizonte. Vá. Apenas vá. Você tem dois instrumentos, que nada lhe servem se você não acreditar que o instrumento mais importante é você. Não importa o lá. Importa o cá.

A cobrança do mundo, não é nada perto da cobrança que você se faz diariamente. Nós realmente precisamos parar com isso: deixar de lado o medo de falhar, deixar pra lá o medo de não ser perfeito. Diferente do que nos foi dito, a vida sempre nos dá segundas, terceiras e quartas chances. Na verdade, ela nos dá quantas chances forem necessárias para seguir em frente. Nós estamos em constante processo de aprendizado e mudança. É no fato de sermos “imperfeitos”, que está toda a graça do mundo. Não seja tão chato consigo mesmo, cada um tem o seu próprio olhar sobre a vida, depende de nós encontrar o que nos faz feliz. Seremos desse jeito por toda a vida, devemos aproveitar o melhor que ela nos tem a oferecer.


Categories: Artigo

Comente seus pensamentos

Participe